segunda-feira, 30 de junho de 2008

LEGAL - em busca da perfeição.

Eu sou uma moçinha legal, que tem um emprego legal e férias mais legais ainda. :) Que vai estudar em uma faculdade e fazer um curso aparentemente legais. Tenho os meus amigos legais, meus irmãos amados e legais, minha cachorra legal, minha casa legal, meu computador, minha TV, meus livros e cadernos legais. Fiquei pensando ontem a noite: "Graças à Deus está tudo dando certo de novo!" Às vezes dá até medo desse momento legal. É como se algo ruim estivesse por vir só para desmanchar tudo.
Bem... mas enquanto isso não acontece fiquei satisfeita com minhas conquistas. Feliz por ver tudo dando certo e um pouco envergonhada por ser tão exigente com Deus.
Ontem pela manhã meu irmão e eu fomos à feira de carros lá no Mineirão. Estamos mesmo decididos a comprar um carrinho velho. Só falta a grana. :/ Ele vai fazer minha vida muito mais fácil a começar pelo stress a menos por não ter que ver o grosso, o ignorante daquele motorista todos os dias. Ah! Não vejo a hora.
Mesmo super satisfeita eu tive coragem de dizer em minhas orações que para tudo ficar perfeito eu queria um carro e um namorado. O carro já está quase, mas o namorado...
Lembrei-me da minha Beautiful Teacher : "o futuro a Deus pertence". Lembrei-me também do dia em que ao conversamos sobre namorados eu fiquei lá no banco de trás do carro admirando o carinho dela com o Rodrigo (e vice-versa) só imaginando como eu gostaria que o meu namorado fosse. Um jogador de futebol? Não, não, não... Eu quero um cara... um cara... Um cara legal! Que seja mais alto que eu, forte, corajoso, simpático, cheiroso, diferente, inteligente, esperto, que saiba dirigir, que saiba beber ou não. Que goste de futebol e seja atleticano. Que saiba tocar algum instrumento, cantar, escrever poemas ou qualquer coisa romântica do tipo. Um cara que fale inglês ou que esteja disposto a aprender afinal quem namora a Luana namora também a Julie. E ainda tem a Julia! Mas com o espanhol a gente dá um jeito. Um cara que me ensine coisas que eu ainda não aprendi e que esteja disposto a aprender comigo. Um cara paciente para gostar e entender a Luana, a Lua, a A, a Ana, a Julie e a Julia. Tem que ser um cara literalmente foda! E pouco louco confesso... Um cara afim de aventuras, sossego e alguns filhos no futuro. Assim é um cara legal!

sábado, 28 de junho de 2008

Férias

Enfim... Férias! Depois de quase babar nas provas, preencher "set mil" certificados e passar uma tarde os entregando: FéRiAs! Agora isso aqui vai bombar e minha casa vai ficar cherosinha. Quem vem me visitar???

domingo, 22 de junho de 2008

Boneca

Há pouco me lembrei daquele dia que a Cris me disse acreditar que para uma mãe os filhos nunca estariam distante. Talvez seja mesmo verdade.
Cansada, com fome, com os olhos quase fechando, larguei a caneta e fiquei pensando na minha mãe. Será que ela pode sentir minha presença tanto quanto eu sinto a dela? Onde ela está? O que pensa? O que faz? Lembrei da minha mãe e do jeito doce que ela tinha para me chamar. Quase nunca me chamava pelo nome. Mamãe costumava me chamar de boneca. Minha bonequinha! Quando lembrei disso me senti uma boneca de pano, um lixinho dependurado naquela mesa. Pela primeira vez me perguntei se valia a pena trabalhar tanto. Gosto do meu emprego, gosto de trabalhar, mas não me restam dúvidas de que trabalhar tem sido um remédio, anestésico. Eu uma bonequinha de pano geralmente despenteada com trapinhos coloridos. Mas lembrei-me também dos calos que ela tinha nas mãos, das rugas, do olhar muitas vezes carregado de cançasso. Trabalhar é um bom remédio para a dor. Será que mamãe tem o descanço que ela merece agora? Será que ela sofre de me ver dormindo em cima das provas. Será que ela sofre a cada Miojo e cada momento de tristeza meu?
Olhando fixamente para a parede branca desejei ver minha mãe por aqui, perto de mim, desde que não fosse com o pescoço dependurado, claro! A última vez que desejei isso foi naquele dia mesmo. Segurando com força a grade de garagem, escondida pelo carro do IML, meio sem coragem de olhar tudo o que eu já tinha visto. Naquele momento não tive medo de escuro. Eu rezei duas vezes por um milagre que não aconteceu. O moço já estava abrindo a porta do carro com luvas nas mãos.
Queria conversar com você, mãe. Quero que me conte tudo o que aconteceu. Conte-me se está tudo bem aí e onde é aí? Quero saber então se ao menos você pode me ouvir. E se pode não precisa se preocupar que eu tô bem, viu?! ... Lembra do Thiago e da Gra? O casamento deles é daqui a duas semanas e eu vou ser madrinha. Estou super anciosa! O Fafá já vai ser pai! Bem que você disse que tudo aquilo ia mudar. Disse... Quase não diz mais nada...
Boneca de pano, boneca de porcelana. Frágil, toda vez que me olho no espelho ao acordar vejo uma bonequinha de porcelana. Branca, olhos ainda meio fechados, boca vermelhinha... Há quem diga que eu também pareço com a Moranguinho, mas eu prefiro ser para sempre a bonequinha da mamãe.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Gracinhas da minha vida!

Devido à agitação da ultima noite, acordei um pouco mais tarde, em cima da hora na verdade. No limite do tempo e com a ajuda do meu irmão peguei o lixo e sai apressada. Ao primeiro chorinho me dei conta: "esqueci de verificar a água e a ração!" Putz!
Não estive em casa para o almoço. Tive um sensacional almoço na casa da Sharon. Fino!
Quinta-feira. Cansada, cheia de serviços acumulados, anciosa para conversar com meu irmão sobre as decisões a serem tomadas e preocupada com a Biba.... Tudo isso fez a vontade de estar em casa ser tão grande. Quando é assim, aluno quer marcar monitoria de reforço num horário x, a diretora te pega de conversa (mas eu te amo Cris!), o carro da Judy pifa, mas tudo se resolve.
Cheguei! Mas que cachorra mais linda essa que eu tenho em casa! Pobrezinha, não tinha ração, tampouco uma aguinha. Sempre amei a Bisguila, mas hoje ela me recebeu com um carinho surpreendente, especial e não acredito que tenha sido pela comida que a faltou. Nem me importei com os pelos agarrados na minha nova blusa preta. Comemos juntas, dançamos, brincamos de capoeira e cantamos Tim Maia. Conversamos com minha irmã e ela recebeu toda bonitinha o meu irmão. Adoro quando ele fala manso com ela, acho uma graçinha! Graçinhas da minha vida. E assim terminou o dia. Minhas duas graçinhas dormindo lá em cima e a outra esparramada num tapete aqui do meu lado. Bisguila é muito fofa, um amor! Raul Seixas a adoraria.

"Biba, Biba, Biba é uma cachorra alternativa"

quinta-feira, 19 de junho de 2008

PROUNI

Acabei de ler a notícia. Fui pré-selecionada em segundo lugar para cursar a licenciatura em Letras com habilitação em Português e Inglês na Faculdade Pedro II. Estou super feliz com o meu desenvolvimento em geral e confesso que bastante surpresa. O que tudo isso significa eu ainda não sei. Mas de fato é uma boa oportunidade para estudar ( e "de GRAÇA"! Literalmente de graça, graças a Deus!) e dar um pouco mais de sentido à vida. Se não por isso, valerá a pena mais uma tentativa. Mais novidades em breve...

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Valentine's Day

Dia dos namorados e meu computador no concerto. Senti falta dele... Do computador, é claro! O dia foi divertidíssimo. A escola estava toda enfeitada, eu teria ficado mais feliz se tivesse tido tempo suficiente para ler todos os corações. A noite também foi boa. A festa dos solteiros não foi do jeito que eu imaginei, mas valeu a pena. A Letícia é uma graça! E as muitas caipirinhas cairam bem demais.
No dia anterior eu me apaixonei por mim mesma ao ouvir Jack Johnson e Norah Jones na hora de dormir e no dia seguinte me amei muito ao comprar tantos presentes. Merecidos presentes! Agora eu já tenho aquela bota que eu tanto queria, blusas coloridas, porta-trecos, álbum de família, estoque de Trident... As vezes fico imprecionada por ter me rendido às tentações de ser uma consumidora de verdade. Gastei a sexta-feira toda no shopping e me esqueci de dormir. Gente! Quando cheguei ainda gastei um pedaço da noite organizando as fotos no álbum recem comprado. Mas se quer saber eu me diverti. E as fotos são lindas! Quem quiser, pode vir na minha casa para conferir.

quarta-feira, 11 de junho de 2008

I carry your heart with me

9 de junho de 2007. Sérgio e eu assistiamos um filme em seu quarto. Eu que não sou muito de assistir filmes, sem paciência. Aquele foi especial. "In her shoes", era o nome. Em Português não me lembro. Algo nada a ver, de certo.

Na ultima segunda feira abri a agenda e lá estava o poema. No filme a simpática irmã mais velha leu um poema para a outra irmã no dia do casamento. A cena, por si só, me dissse muita coisa. E o desconhecido poema passou a ser o meu favorito. Hoje o carrego comigo para onde vou. Ele está lá, marcado no dia 9 de junho.

Curiosa pesquisei sobre a vida do autor, li críticas sobre o poema, fiz speech e o traduzi adaptando- o aos meus sentimentos. Depois de tanto o ler, fui descobrindo outras muitas interpretações. Uma mais linda que a outra! E dele descobri algo muito mágico até então desconhecido.

Na segunda tive vontade de escreve-lo aqui, mas tive problemas com a NET. Na terça achei melhor deixar para lá. Ignorei a vontade de dedicar-me às lembranças, mas à noite, ao conversar com a Cris me dei conta. Percebi o quanto tenho sido ignorante por ignorar algo ignorável. Algo que está sempre comigo, algo que é parte de mim algo que E. E. Cummings me esinou a notar.

I carry your heart with me

I carry it in my heart

I'm never without it

Anywhere I go, you go, my dear

And whatever is done by only me

Is your doing, my darling

I fear no fate

For you are my fate, my sweet

I want no world, for beautiful

You are my world, my tree

Here is the deepest secret no one knows

Here is the root of the root

And the bred of the bred

And the sky of the sky of a tree called life

Wich grows higher then the soul can hope

Or mind can hide

Is the wonder that's keeping the stars apart

I carry your heart

I carry it in my heart

terça-feira, 3 de junho de 2008

YOU SUCK

"nuuuu... que medo.... vc tem um blog... eu tenho um caderno maior que o dicionario da miriam... eu juro, eu juro que pensei em te dar esse conselho! ter um filho!!! eu pensei nisso e depois cinco linhas depois eu li! ta ficando doida fia??? solidao eh ruim so no inicio... depois vc acostuma....aprende a se divertir sozinha... vai estudar! vai ocupar a cabeca... eh chato? ansiedade nao deixa ne? eu sei..... mas so vai dar certo se vc comecar a estudar mesmo nao querendo.... quando voce ver ja ta a uma hora ali..... outra solucao.... vai fumar.. acalma.... mas mata, deixa o dente podre e eh pessimo habito.. mas por um lado, acalma, e hoje em dia ja tem clareamente de dente barato, nao tem ninguem perto de voce mesmo pra encher o saco da fumaca ou te dar uma " mao habito " opiniao..... eu tenho um punhado de conselho aki... mas eh meio meu.... meu mundo eh loko voce sabe..... mas sou feliz..... isso nao eh importante?? se eu to ansioso vou correr.... corro umas cinco milhas! emagrece, e da sono... coloco um ipod na orelha e vou sem destino.... tem dia que me perco no bairro... nao sei onde to... tenho que perguntar... e nao tem ninguem.... todo mundo aki anda de carro... ai ligo pra uma amiga e pega o end no google... to meio agora sozinho.... bebado logico... pra escrever tanta merda..., mas merda do coracao... sao uma da manha e eu to todo quebrado... me meti numa briga de bar sabado passado.... apanhei demais... mas tambem quebrei narizes.... descobri que brigar eh uma delicia!!! vai ai mais uma dica.... acha uma academia pra voce... vai praticar esporte! nao eh bom em nada? vai lutar... relaxa... passa a raiva... lu.... me escreve mais vezes... me manda uns mails... qualquer coisa...
bjota
eu tentei comentar o seu blog... mas tem que cadastrar e me deu caganeira na hora.... no ju... to arregacado... minha cabeca ta zomzaaaaaano...
fui"
Então descobrimos que nem tudo é como parece ser. Isso foi escrito por um grande amigo no meu Orkut. Saudoso Elvis que passa longa temporada nos Estados Unidos. Elvis também cheio de esquisitices. Louco. Encantador...
Oi meu Xuxu! Quando eu acho que você se esqueceu de mim... Que bom que me escreveu. Demorei um pouco para saber quem você era. Pelo grau de loucura imaginei, mas depois achei que fosse o Jimmy. Só que ele não estava bebado. Ô Elvito! Saudade gigante de você. Se você estivesse aqui, tenho certeza que boa parte dos meus problemas virariam loucuras passageiras. Você é o máximo e eu sinto muito a sua falta para me fazer companhia.
Sabe, na ultima sexta-feira disse ao meu pscicólogo que eu sentia falta de alguém que me entendesse. Alguém esquisito como eu. Louco. Com dificuldades, dúvidas, angústias, medos, coragens e soluções. I've just realized: Tá faltando você aqui comigo...
Beijão!
A melhor idéia foi a de quebrar narizes. As vezes tenho essa vontade, mas detesto briga! Me faz ter medo...
Não tem que cadastrar nada não. Você pode mandar como anônimo se não tiver conta do google. Aí você assina para eu saber que é você. Mas que briga foi essa? Voce está bem? Arruma alguém para cuidar de você ai menino. Um beijinho para sarar. Rsrsrsrs...
Já que você não conseguiu postar nada devido ao alto nível de embriaguêz ai está sua contribuição para o blog. Já valeu a pena ter lido isto. Fiquei muito surpresa!
Não vou virar fumante, não vou quebrar narizes e não vou loucamente a procura de semen fértil... Mas seus conselhos foram muito úteis. Obrigada por ter me escrito. Obrigada por se importar mesmo estando tão distante. Obrigada por entender e compartilhar. Enfim, obrigada por ter deixado saudades.
Ah! E antes que eu me esqueça: YOU SUCK, TOO!!!

segunda-feira, 2 de junho de 2008

"Direto do mundo da Lua..."

Depois da sugestão da Meg e da sutil insistência de Cristiana, não penso em outra coisa à não ser o livro. Não conseguiria dormir antes de pegar o papel mais próximo e escrever algumas bobeiras.
Quem foi o maldito que inventou a solidão? Estava aqui me lamentando... Já nem tenho mais aquela latente vontade de voltar a ser uma moçinha normal. Uma moça de 20 anos, prestes a fazer qualquer loucura, com aquela vontade insaciável de aproveitar o agora. Estou me acostumando a viver bem com minha vida diferente, aqui no meu mundo distante. "Direto do mundo da Lua..."
Fantástico é um dos meus programas preferidos, mas para mim assistir TV continua sendo uma puta falta de opção. A TV já estava ligada. Eu fazia um lanche. Tudo bem! Meu irmão saiu para namorar. Bem... Até que minha irmã, após dormir um longo período da tarde, desce pronta para sair. Já não eram mais de nove da noite?
De repente, só. Bisguila e eu. Uma ansiendade sem fim chegou para me fazer companhia. Inquietude! Vontade de fazer qualquer coisa só para ver o tempo passando mais rápido. Medo de sair do sofá. Vontade de acender todas as luzes. Ah! Cadê Tadeu Schimidt?
Resolvi vir para o quarto. Forçando-me a dormir liguei a FM do celular no loudspeaker, era tudo o que eu tinha para me fazer companhia no escuro. Enquanto fazia minhas orações ouvi o barulho da moto, sabia que era ele, mas o alívio me fez levantar da cama. Vi pela janela meu irmão chegar. Parada feito uma tonta. Que diferença faria? Ele chegou, me agredeceu por ter aberto a porta e foi direto dormir.
Prece concedida. Eu pedia a Deus que acalmasse meu coração, que me fizesse entender que a solidão não é tão ruim assim. Pedia força, coragem. Nonsense, mas parada ali na janela, além de me sentir uma idiota, senti-me também um pouco mãe. Quando voltei a rezar, pedi sabedoria a Nossa Senhora para que um dia eu pudesse encarar essas dificuldades com coragem de verdade e mais uma vez desejei ter um filho, só que dessa vez para dar razão às minhas inquietudes. Além disso, jamais me sentiria só com um filho ao meu lado. Eu acho... "Direto do mundo da Lua..."

domingo, 1 de junho de 2008

Família

Domingo. Eu queria mesmo era dormir, mas não me desprendia da preocupação de ter provas a corrigir. Quanto antes eu acordasse mais tempo teria, acontece que eu sonhava. Sonho bom que me fazia ter vontade de dormir para sempre. De repente o sonho me pareceu realidade. O domingo era este domingo.
Não muito atipico, minha irmã não tinha dormido em casa eu então fui dormir com "Altas Horas". Quem dorme tarde, acorda tarde. Ouvi o barulho dos chinelhos da minha mãe descendo a rampa, chegando ao meu quarto para vir dizer: "Levanta para tomar o seu leitinho, filha. Tá na hora!" Ouvi o barulho da água da caixa descendo sem parar, ela sempre lavava roupas aos domingos de manhã. Ouvi o barulhinho da panela da Bisguila e aquele chorinho de manha que ela sempre fazia ao ver minha mãe preparar o papa. Já está na hora do almoço? E meu pai? Papai de certo estava assistindo TV, se não já estava no buteco. Muitas vezes o almoço de domingo era mesmo sem ele. E o Celsinho? Como não ouvi aquele barulhinho irritante de carros Fórmula 1, certamente ele estava alí na rua lavando o carro na companhia dos amigos. E eu lá dormindo, longe de me preocupar com provas.
E eu aqui dormindo. Antes de abrir os olhos desejei que tudo isso pudesse ser realidade de novo. Abri os olhos, olhei para a cama da Renata. Vazia! Impossível... Mamãe não viria me acordar. O barulho que ouvi eram dos chinelos do meu irmão descendo as escadas. Coincidencia ou não ele preparava aquele bolo de cenouras. Bolo de cenoura, domingo de manhã? Coisa de mãe, pensei.
Dali veio o barulho de panela e o choro manhoso da Bisguila. Não estava na hora do almoço e nem era dia de Fórmula 1. Estava na hora de tomar o leitinho. O tomei já sentada frente ao computador pensando o quando minha família se faz presente.
Mesmo sem quase não vê-la, não fico um dia sem pensar e falar da minha irmã. Muitas vezes para reclamar, claro! Por mais que me sinta culpada por isso, anseio as notícias do meu pai. Mesmo que distante, mamãe se faz presente todos os dias. Sempre! De fato, família é para sempre. E o para sempre, sempre acaba.