terça-feira, 30 de setembro de 2008

“Apesar da cara de boa moça, prefiro não comentar.”

Luana Márcia Pereira Damasceno - 05/10/1987

Chegou a vez dela! Depois de proporcionar a tantos a alegria (e os micos!) de ver seu nome no quadro de aniversários do TFLA, agora é a Julie quem está aqui.

A futura mamãe do Miguel, Pedro, Renato, Otávio, Ana, Clara ou Beatriz, tem vários codinomes. Além de Julie, ela é a Luli, Lua ou Lu, e gosta de dormir, comer, beber, estudar, beijar, abraçar, fazer churrasco com os amigos, compras com o irmão, nadar, viajar... ufa! Quanta coisa!

Por outro lado, ela não curte acordar cedo, fazer escolhas sozinhas, ir à ginecologista e nem ficar menstruada. Além disso, não gosta de pentear cabelo... Talvez por essa razão se encontrasse o gênio da lâmpada, pediria para acordar depilada, penteada e com as unhas feitas, além de pedir também para emagrecer e nunca mais engordar e para nunca mais ter dívidas.

Julie sonha ter uma casa grande com piscina, árvores, um macaco de estimação e mais um maridão para ser pai de seus filhos. Já seu maior pesadelo é ser sozinha e não conquistar o que quer.

Dentre várias, a lembrança mais engraçada de sua infância foi o dia que cismou de tomar banho de banheira em uma bacia de lavar roupa e ficou entalada lá a tarde inteira, até sua mãe chegar. O maior mico? Mastigar um Babalú de uva por três dias consecutivos na escolinha. O chiclete derreteu em sua boca e todos acharam que ela estava vomitando. Eca!!!

Essa mocinha legal, amiga, simpática, falante, atenciosa e prestativa, é também medrosa e corajosa ao mesmo tempo, preguiçosa, ansiosa, ciumenta e... abusada! Vê se pode! Tanto que, ao perguntada sobre sua maior loucura, a resposta é direta: “Apesar da cara de boa moça, prefiro não comentar.”

Ela geralmente não toma banho todos os dias, e quando vai ao banheiro, lê mensagens antigas no celular. No dia de seu aniversário, quer de tudo um pouco: surpresas, festa, churrasco, cerveja, Fanta Laranja, presentes, cartas, cartinhas e cartões, brigadeiro e seus amigos ao lado cantando “It’s your birthday today” (música do LG1U5). Mas nem pensem em apagar a luz na hora do bolo! Ela também não quer brigas, notícias ruins e nem sustos nesse dia tão importante.

Um livro: “Para tão longo amor”

Um filme: “In her shoes” (Em seu lugar)

E-mail e MSN: lua.dama@yahoo.com.br

Blog: luadama@blogspot.com

Orkut: Luana (Julie)

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate!

Todos os dias há um momento que eu realmente gosto de ficar sozinha. Ao acordar eu sempre penso rapidamente em que roupa vestir, que aulas tenho a dar ou que aulas terei. Depois é da cama para o banheiro e para a cozinha. Só o leitinho me acorda! Aí sim está tudo bem. Posso recolher o lixo, me arrumar ou organizar meu material. Ao sair de casa, como quem pede proteção e bons ânimos para o dia faço minhas orações. Hoje, pedi por intercessão de Nossa Senhora Aparecida e São Miguel Arcanjo, como de costume. Uma questão mais de hábito do que de devoção. "Em nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo." Ave Maria, Salve Rainha e uma sincera oração. "São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate."

Na mesma hora me lembrei então que hoje é o dia de São Miguel. 29 de setembro. Lembrei-me com saudade das festas na avenida e da correria que era para organizar tudo. Com as boas lembranças vieram também aquelas que, embora sem motivo, me fazem ainda hoje ter um friozinho na barriga. Lembrar de Alguém sempre me dá uma má sensação. Mas não valia à pena pensar naquilo logo de manhã. Tentei me lembrar da oração à São Miguel, mas como eu disse trata-se muito mais de costume do que de devoção. Acabei simplesmente batendo um papo com o anjinho ao invés de fazer sua oração. Depois ao cantar sua música vieram-me mais um porção de boas lembranças. A segunda-feira não poderia ter começado melhor.

Como quem planeja de visitar um amigo no dia de seu aniversário, pensei em passar na paróquia mais tarde, não sei se o tempo vai ser suficiente, mas não custa tentar.

Oração a São Miguel Arcanjo

Glorioso Príncipe do Céu e Protetor das Almas, eu vos chamo e invoco para que me livreis de toda adversidade e de todo pecado, fazendo-me progredir no serviço de Deus e conseguindo-me dele a graça da perseverança final, que me faça gozá-la eternamente. Amém! São Miguel Arcanjo, protegei-nos no combate, cobri-nos com vosso escudo contra os embustes e ciladas do maligno. Subjugue-o Deus, instantaneamente vos pedimos. E vós, príncipe da milícia celeste, precipitai ao inferno a Satanás e a todos os espíritos malignos que andam pelo mundo a perder as almas. Amém!

sábado, 27 de setembro de 2008

O Tico e o Teco.

Uma (mais uma!) das vantagens de se ter um blog é sempre ter algo divertido a fazer quando não se tem nada mais divertido ainda. Entenderam? Azar se não. Não é mesmo fácil de entender. Alguns me entendem, mas não é assim tão urgente que você não possa ficar na dúvida. Acontece! Entender é difícil... Calma!

Alguém pode me explicar por que motivo, razão ou circunstância o site do TRE não funciona perfeitamente para que eu pudesse concluir com sucesso minha pesquisa eleitoral. As eleições são daqui uma semana (e meu aniversário também!) e eu ainda não tenho meu voto para vereador. Mas vamos combinar... Ô tarefa difícil! Não sei fazer isso não. Sou meio burra.

Hoje eu não arrumei a casa. Nem ontem. Ah... Para quê se semana que vem vou ter que arrumar bem direitinho. Ao menos algumas visitas eu hei de ter! Espero...

Comi pizza... Dois pedaços. E agora estou bebendo refri. Semana que vem é meu aniversário! Vou querer churrasco e brigadeiro.

Ah! Falando nisso esqueci de ligar para a nutricionista. E para o oftomologista, para a dentista, o cabeleireiro, o bombeiro... Esqueci nada! Só não gosto de ligar. Posso? Claro! Poder, pode...

O pé da minha cama quebrou e eu não acho o papelzinho da garantia (se é que ainda tem). Ontem tive visita! Priminha chamou o Michel de pagodeiro que faz sobrancelha e se interessou tanto pelo Pacu que mais um pouco eu ficava com ciúmes.

Vi Miriam essa semana. Estava com saudade.... Minha Beautiful Teacher vai se casar mesmo. As fotos serão no Mercado Central, acredita? Eu vou ter um convite!

Então... É! Não é? Divirto-me tanto falando sozinha... É assim que eu fico o tempo todo. O Tico conversando com o Teco. "I keep bleeding; I keep keep bleeding in love..." Cantando. Paro assisto TV. Coloco as roupas no varal, começa a chover. Ixiii... Não tomei banho ainda. Nem vou tomar, ninguém vai me cheirar. Está frio. Não quero subir para estudar sobre verba escolar. Políticas Educacionais tinha tudo para ser uma das minhas matérias preferidas, mas não tem sido.

Aí que saco esse barulho de dinossauro na TV! Parece monstro. Será possível. Tenho medo sô! Propaganda... Melhor assim. Nova novela das seis. Minha mãe sempre assistia às novelas das seis.

O Jojô se parece com o Sr. Madruga. Rsrsrs... O D. que falou. Por falar em D. Alguém entende meu primo? Eu nem vou tentar. Muleque (literalmete) doido. O galo é doido! 0X0? Jura? Ouvi na padaria. Ah... E quem vai me levar ao Mineirão? Eu compro os ingressos alguém vai comigo? Elvis, volta para me levar ao Mineirão de novo? Portão 9 ou 12? :)

Vontade de escovar os dentes... Uai! Eu tenho vontade de escovar os dentes e não tenho vontade de tomar banho, estranho, não é mesmo?!

Ah! Foi tão bonitinho hoje. Mi alumna... Ela estava tentando me contar em espanhol que um cara a pediu em namoro. iQué bonito Cecília!

Está na hora do chá verde. Vou lá. Preparo o chá e já vou para meu quarto. Ler um pouquinho, me organizar. Amanhã é domingo, pé de cachimbo!

Boa noite!

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

"Dear Julie Andrews, we're all creeps..."

Creep

Radiohead

When you were here before, Couldn't look you in the eye You're just like an angel, Your skin makes me cry You float like a feather In a beautiful world I wish I was special You're so fucking special But I'm a creep, I'm a weirdo What the hell am I doin' here? I don't belong here I don't care if it hurts, I wanna have control I want a perfect body I want a perfect soul I want you to notice when I'm not around You're so fucking special I wish I was special But I'm a creep I'm a weirdo What the hell am I doin' here? I don't belong here She's running out the door She's running out She run run, run, run... Run... Whatever makes you happy Whatever you want You're so fucking special I wish I was special But I'm a creep, I'm a weirdo What the hell am I doin' here? I don't belong here I don't belong here...

True Colors Book 4 - Page 131: Writing an essay about music.

Write about a song you really like. Try to explain why you like it. How does it make you feel? Do you associate the song with a certain person or time in your life?

It has been my favorite song for a while. For sure there are others, many. But I've just chosen this one because I remembered you (my teacher) also like Radiohead. So it might be nice for you to read this as well it's nice for me to write it.

I do like listening to Radiohead and I've already known this song, but it really became one of my favorites last year. Two semesters ago I decided o make a speech about poems. My ex-boyfriend and I were into telling poems to each other because I had invented the poem's day. Every month we had to tell a poem to each other. As you can see, I'm so romantic! He agreed and liked it, but it didn't last long.

Though we loved each other our relationship was not good any more. It made me feel a strange person. "How can I love him and not want to date?" I used to ask myself this all the time.

That month I was looking for a poem that could describe this strange feeling to help me go throw that embarrassing situation.

I read many poems, I felt many things, but I was OK. A week later, thinks of broking up the relationship, I got them to read again. I was so sad, I felt so sad...Same poems, different things. I realized that that poem's interpretation depends on the reader, on the time, on the reader's mood and also depends on points of view (that could be different even for the same reader!).

Well, my speech was about my favorite poem (I carry you in my heart - by E.E. Cummings) and this song. Courtney was my teacher. For sure she would like it! Coincidently I watched an MTV's program about Thom Yorke and he was talking mainly about himself.

Thom was trying to explain why he was so weirdo. He talked about his problems, his feelings, his friends (or the friends he would like to have) and many other things that made me feel we two could be one. The same person!

Then he started talking about "Creep". He said he made this song to talk about himself when he was depressed. He wanted to be special to himself not seem a weirdo to the others. "But I am" - he said.

I also watched a video that he sings it with his eyes closed. At first you can think he's thinking of someone. But he is just talking to himself, as if he was praying, asking God why. Actually, I can not imagine Thom praying in other way. But the thing is... He point to him, even sing "she". I guess "she" would be his soul, his life, his mind. He can't hold it. Maybe that's why he can't hold his "bad" attitudes.

That is how it became one of my favorites. I'm in love especially with the lyrics. It's important to me because it gives me a chance to say I'm a weirdo as if it was just normal. It helped me a lot when I wanted to finish my relationship. It made me understand we have to find some way to be fine with ourselves otherwise we won't be fine with the others.

The song also makes me "show my true colors" just like it does with Thom. It makes me remember my friends and the difficulty I have. Sometimes I'd like to have a perfect body, a perfect soul not to be so different of people I like. I love all my friends, but it's difficult to stand me. I know. But I wish I could be even more special to them even being like I am.

In special it makes me remember my friend Elvis and my mother. He once said: "you so fucking special". Probably not because of the song, but he said. And my mother… "She" sometimes is my mother. She has gone and sometimes "I don't care if it hurts". I pretend it doesn't, and it makes me fell bad, strange, weirdo! I should not have this control. I can't feel my mother's skin anymore, now she's just an angel, but I can't look in her beautiful green eyes. She is going... Day by day she runs. Her body has already gone. And there it goes her mother's smell, her smile, her sweetness, her clothes, objects and also my memories. They go. I fell so sorry, but they are going...

So, what am I doing here that I can not stop it? Sometimes I even thing my mother doesn't want to stay. I still carry her in my heart. Still. Is it finishing? "Root of the root". Things go so fast! Shit! I'm afraid...

In general, I wish I could be less different and also wish being special to the other as they are to me. All. My dad... There is nothing more weird then loving (I can't find a better word) the one who had killed your mom.

I'm a creep and that's it!

Julie Andrews

September 07, 2008

sábado, 13 de setembro de 2008

Prazeres pela metade.

Não há nada que me deixe mais frustrada do que pedir sorvete de sobremesa, contar os minutos até ele chegar e aí ver o garçom colocar na minha frente uma bolinha minúscula do meu sorvete preferido? Uma só. Quanto mais sofisticado o restaurante, menor a porção da sobremesa. Aí a vontade que dá é de passar numa loja de conveniência, comprar um litro de sorvete bem cremoso e saborear em casa com direito a repetir quantas vezes a gente quiser, sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação. O sorvete é só um exemplo do que tem sido nosso cotidiano. A vida anda cheia de meias porções, de prazeres meia-boca, de aventuras pela metade. A gente sai pra jantar, mas come pouco. Vai à festa de casamento, mas resiste aos bombons. Conquista a chamada liberdade sexual, mas tem que fingir que é difícil (a imensa maioria das mulheres continua com pavor de ser rotulada de 'fácil'). Adora tomar um banho demorado, mas se contém pra não desperdiçar os recursos do planeta. Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo, mas tem medo de fazer papel ridículo. Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD, esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar. E por aí vai. Tantos deveres, tanta preocupação em 'acertar', tanto empenho em passar na vida sem pegar recuperação... Aí a vida vai ficando sem tempero, politicamente correta e existencialmente sem-graça, enquanto a gente vai ficando melancolicamente sem tesão. Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'. Deixar de lado a régua, o compasso, a bússola, a balança e os 10 mandamentos. Ser ridícula, inadequada, incoerente e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam a nosso respeito. Recusar prazeres incompletos e meias porções. Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou e disse uma frase mais ou menos assim: 'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'. Nós, que não aspiramos à santidade e estamos aqui de passagem, podemos (devemos?) desejar várias bolas de sorvete, bombons de muitos sabores, vários beijos bem dados, a água batendo sem pressa no corpo, o coração saciado. Um dia a gente cria juízo. Um dia. Não tem que ser agora. Por isso, garçom, por favor, me traga: cinco bolas de sorvete de chocolate, um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order', uma caixa de trufas bem macias e o Clive Owen embrulhado pra presente? Não necessariamente nessa ordem. Depois a gente vê como é que faz pra consertar o estrago. - Leila Ferreira.

Uma das vantagens de se ter um blog é poder selecionar e registrar aquilo para aquele momento. Acabei de ler esse texto na página principal do Orkut da minha linda profesora de español.

Ontem fui ao bar e ao invés de cerveja, picanha e batata frita pedi um suco de laranja sem açúcar e um pão de tomate. Vejam bem como as coisas mudam! Confesso que o prazer de botar a bunda na cadeira de um bar não é o mesmo quando se tem calorias a controlar. Mas deu tudo certo!

Hoje já rejeitei pão de queijo, sorvete e cachorro quente. Ao menos carrego comigo a qualidade de ser persistente, pouco cabeça dura às vezes. Verdade é que encasquetei com a boa forma e com tudo mais que se há para conquistar com ela.

Amanhã não vou dormir até tarde, sequer acordar para ver Esporte Espetacular. Sou a terceira goleira reserva, não posso faltar! Futebol feminino do TFLA achou um lugar na agenda e nem me lembro de ter permitido.

A vantagem de se viver os prazeres pela metade são os desafios. Saber controlá-los é de uma sabedoria tamanha. Ao ler o exemplo de Santo Agostinho lembrei-me que isso é uma das coisas mais humanas de que tenho conhecimento. Equilíbrio suficiente para não satisfazer todos os prazeres ao passo que se tenta buscar um prazer meia-boca para continuar vivendo o prazer.

E como quem briga com o namorado esperando a hora de fazer as pazes, eu espero poder chutar o balde. Coisa que também costuma fazer parte do meu gênio, não só no que diz respeito às guloseimas, se é que vocês me entendem.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Então, é calor?

O calor mal começou e com ele uma porção de bolinhas coçantes (não achei esta palavra no dicionário para saber se está certo, acabei de inventar mais uma!) espalhadas corpo à fora. Como se não bastasse, tenho a virilha tomada por pêlos encravados. E a espinha que dói no lado direito da testa, de onde veio? É o calor?

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Oportunista a tempo.

Até hoje nunca tinha percebido o sentido pejorativo de ser oportunista. No entanto, aprendi que ser oportunista é muito bom, mas pode também não ser. Descobri que bom mesmo é aproveitar a oportunidade e não simplesmente ser oportunista se é que vocês me entendem.
Ser oportunista é tirar proveito de algo com tamanha mediocridade que acaba não levando há nada. Aproveitar uma oportunidade é, de fato, tirar proveito daquilo.
Talvez eu continue sendo oportunista por algum tempo, tirando proveito de coisas e pessoas. Medíocre, mas consciente. O que na verdade me faz muito mais calculista do que oportunista.
Hoje passei a manhã conversando com minha mãe, enquanto lavava as roupas e depois ao tomar banho.
- Sou burra demais, ou mais esperta do que eu sempre imaginei que fosse. - Falei de certa forma, feliz.
-Mas você hein?! Presta atenção em tudo! - Ela me respondeu orgulhosa.
Eu sou mais esperta do que todo mundo imagina, inclusive eu mesma. Às vezes eu penso cada coisa... Chego a conclusões brilhantes. Ainda bem que minha mãe gosta.
Depois de certa idade a gente sossega, não é verdade?! Paramos de fazer tudo às pressas, sem planejar. Falar sem pensar. Ainda vivo fazendo bobagens (minha idade ainda me permite), mas de certa forma, sempre bobagens calculadas.
Estranho seria não tentar, não viver as oportunidades, não me dar ao luxo de mudar de opinião ou até mesmo de me arrepender.
-Você deve estar feliz, né?! Acha que estou fazendo certo?
-Se não tiver é só tentar de novo, minha filha. Você é nova demais para se preocupar tanto! (Ela sempre me fala isso!).
-E se não der?
- Se não der, vai doer um pouquinho, mas já já passa. O tempo cura. Tempo é bom para tudo!

Trinta dias!

Exatamente trinta dias para o dia mais esperado, o mais feliz do ano.

Acima do Sol

O jeito agora é engolir o sapo, deixar o cotovelo doer um pouquinho que já, já passa. Eu que sempre dou ouvidos aos meus sentimentos (muitas vezes, mais do que deveria) quis insistir, mas não deu certo. De fato as dificuldades são latentes. Tentei ajudar, mas para ele o sempre é um nunca sem fim. Um descaso quase infantil. Um sofrer além da conta que eu não quero mais partilhar. Não quero mais ser moralista, já ficou banal!
O caminho só vai existir se você por ele passar. E agora, sinceramente, prefiro que não me procure quando nele entrar. Não vou me surpreender (a)caso nos encontremos. Isso já aconteceu tantas vezes, não é mesmo?! Ficarei feliz. Muito. E tanto!
Por ora eu fico assim, sem a resposta que pedi. Sem ver nossos sonhos se realizarem, mas no fundo, no fundo com a certeza de que você vai conseguir ser feliz tanto quanto eu tenho sido nas últimas semanas. Quero ser testemunha disso.
Quanto ao meu ego, moçinha? Alimentado por mim mesma, voltou a existir. Não se preocupe tanto assim.
E por falar em alimento... Ouvi isto na quinta pela manhã, antes de chegar ao trabalho. Food for thought: Zero calorias. Tudo o que eu precisava.
Uh...
Assim ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer
Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis...
Tão fácil perceber
Que a sorte escolheu você
E você cego, nem nota
Quando tudo ainda é nada
Quando o dia é madrugada
Você gastou sua cota...
Eu não posso te ajudar
Esse caminho não há outro
Que por você faça
Eu queria insistir
Mas o caminho só existe
Quando você passa...
Uh...
Quando muito ainda é pouco
Você quer infantil e louco
Um sol acima do sol
Mas quando sempre
É sempre nunca
Quando ao lado ainda
É muito mais longe
Que qualquer lugar...
Um dia ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer
Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis...
Uh...
Se a sorte lhe sorriu
Porque não sorrir de volta
Você nunca olha a sua volta
Não quero estar sendo mal
Moralista ou banal
Aqui está o que me afligia...
Um dia ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer
Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis...
Uh...