quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Bugs


"Don't let the bugs bite" foi uma das coisas mais românticas que eu ouvi nos últimos tempos. No entanto era tão difícil me manter em baixo do meu edredom. Mesmo sonhando com neve. Eu tenho tentado ao máximo, mas a certo ponto os sonhos esquentam. É natural!

Continuo acordando com picaduras avermelhadas (sim, é para rir!).

Não tenho dúvida da doçura do meu sangue e por mais literal que isso possa parecer é verdade.

Desta vez, nada disso me parece coincidência!

Estive pensando em como resolver. Pensei, pensei... Quando tentei deixar pra lá um mosquiteiro chegou até meus pensamentos enquanto lia uma página pra lá de excitante. Cris tinha razão ao falar que a leitura funciona como o Viagra feminino.

Usar um mosquiteiro me parecia algo bem óbvio e bastante adequado à situação. Eu sempre achei mosquiteiros charmosos. Só que eles me fazem lembrar duas coisas que a essa altura da brincadeira não era bom nem lembrar: véu de noiva e berço de bebê.

Que culpa tenho?

Isso me deixava um pouco confusa... O acaso não ia perder essa chance de dar mais um nó na minha cabeça. Ia?

Não, não ia. Mas agora eu sei do que se trata. Connection!

Na minha cabeça todas essas bobagens fazem o maior sentido.



segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

I’m nothing in between.

Tomorrow I will change and today won't mean a thing.