sábado, 19 de março de 2011

Cryin'


Cryin'

Aerosmith

Tyler / Perry / Rhodes


There was a time

When I was so brokenhearted

Love wasn't much, of a friend of mine

The tables have turned, yeah

'Cause me and them ways have parted

That kind of love, was the killin' kind

All I want, is someone I can't resist

I know all right I need to know by the way that I got kissed


I was cryin' when I met you

Now I'm tryin to forget you

your Love is sweet, misery

I was cryin' just to get you

Now I'm dyin' 'cause I let you

Do what you do-down on me


Now there's not even breathin' room

Between pleasure and pain

Yeah you cry when we're makin love

Must be one and the same


It's down on me

Yeah, I got to tell you one thing

It's been on my mind

Girl I gotta say

We're partners in crime

You got that certain something

What you give to me

Takes my breath away

Now the word out on the street

Is the devil's in your kiss

If our love goes up in flames

It's a fire I can't resist


I was cryin' when I met you

Now I'm tryin to forget you

your Love is sweet misery

I was cryin' just to get you

Now I'm dyin' 'cause I let you

Do what you do down on me


'Cause what you got inside

Ain't where your love should stay

Yeah, our love, sweet love, ain't love

'Till you give your heart away


I was cryin' when I met you

Now I'm tryin to forget you

Your Love is sweet misery

I was cryin' just to get you

Now I'm dyin' just to let you

Do what you do what you do down to me, baby, baby, baby, baby


I was cryin' when I met you

Now I'm tryin to forget you

Your Love is sweet misery

I was cryin' when I met you

Now I'm dyin' 'cause I let you

Do what you do down to, down to, down to, down to, down to


I was cryin' when I met you

Now I'm tryin to forget you

Your Love is sweet...

I was cryin' when I met you

Now I'm dyin' 'cause I let you

Do what you do down to, down to, down to, down to, down to



sábado, 12 de março de 2011

Quero mais!


Quero que se importe se estou feliz antes de qualquer coisa ruim que possa pensar.

Quero que, ao invés de dizerem mais uma vez “você está sumida”, quero que apareçam!

Quero que entenda a minha ausência.

Quero que você seja meu amigo tanto quanto fui seu quando precisou e quando não precisou também, afinal eu continuei sendo a sua amiga.

Quero ir ao cinema com você antes do seu casamento ou antes que seu filho nasça.

Quero que você tenha tempo para mim, porque eu já não posso mais ter todo o meu tempo para você.

Quero que seja verdadeiro.

Quero que me ligue.

Quero não ter que dizer nada, explicar nada, contar nada, mas ainda assim quero poder te abraçar.

Quero ouvir as suas histórias e músicas.

Quero que me dê notícias suas.

Quero que me deixe chorar.

Quero que me escute quando eu te ligar ou te convidar para algo, se o fiz, acredite! Eu realmente preciso de você.

Quero que responda às minhas perguntas, mensagens, e-mails, olhares. Ou que me faça mais perguntas.

Quero ter menos dívidas. Menos dúvidas.

Quero meu cabelo liso de forma que me dê menos trabalho. Quase nenhum!

Quero que, além de mim, alguém repare que eu fiz as unhas ou depilei. Já não sinto muito estímulo.

Quero me sentir bem nas minhas roupas.

Quero poder me entupir de bobagem sem que isso me doa a consciência a ponto de...

Quero tomar gotas.

Quero ter sossego pra ler, estudar, redigir.

Quero ter tempo para fazer tudo. E tempo para fazer nada.

Quero sentir menos sono.

Quero “que tudo mais vá pro inferno”.

Quero não ser radical.

Quero errar menos.

Quero Deus mais perto.

Quero que “coisas” aconteçam.

Quero que as “coisas” façam sentido.


Eu quero mais! Está me faltando... Faltando sei lá o que. Alguma: “coisa”!



Quero mais!



terça-feira, 1 de março de 2011

Há perigo!


"Há perigo para aquele que rouba o filhote do tigre e há também perigo para quem tira as ilusões a uma mulher." Há tanto sentido em Hafiz como em Horácio e também muita sabedoria no mundo...

Fragmento retirado da tradução "Um Caso de Identidade", de Arthur Conan Doyle. Publicado em As Aventuras de Sherlock Holmes, Volume II.