domingo, 11 de novembro de 2012

Boa mudança

Nos últimos meses eu...

Fiquei doente. Muito! Doente do corpo, da alma, do espírito, da cabeça e principalmente do coração. Mas acho que encontrei a cura.
Quis nunca mais ter que trabalhar até voltar a reconhecer a diferença que faço na vida de cada aluno.
Voltei à terapia. E agora faço questão!
Emagreci uns bons quilos de ansiedade.
Adquiri boa carga de alegria muscular.
Senti urgência em voltar a estudar, mas acabei entendendo que há várias formas de se adquirir sabedoria.
E por falar em sabedoria... Resolvi o que tatuar e onde tatuar, mas continuo com dificuldades em me organizar financeiramente.
Descobri muitas coisas. Muitas mesmo! Coisas que dão nó na cabeça! Coisas que me fizeram chorar, desesperar, arrepender, querer desistir... Coisas que me deram medo. Muito medo!
Descobri também outras muitas coisas boas. Coisas que trouxeram alívio, força, amor e liberdade.
E por falar em amor... Vou ser titia do Polegar e vou testemunhar mais dois casamentos de pessoas muito queridas.
Me apaixonei. Por acidente. E, de repente, isso mudou tanta coisa!
Briguei com Deus! Feio. Ele que tente ferrar outra pessoa da próxima vez porque agora, mais do que nunca, Ele sabe que eu me importo. Me importo sim com tudo o que Ele faz por mim, mas Ele sabe que eu sou boa de achar soluções e que confio Nele e em todas as coisas que faz.
Reaprendi a agradecer. Mesmo depois de ver toda a merda e atirá-la contra o ventilador sempre ligado em dias irritantes de tanto calor.
Disse "não" com mais frequência e assim, fui me permitindo, me permitindo...
Tomei mais decisões. Arrisquei. Percorri mais vezes a minha metade do caminho e tentei não esperar.
Talvez eu tenha errado mais vezes. É que... Não sei. Mas eu acho que agora me canso de só acertar.
Conversei com o meu o anjo da guarda pra me distrair e arrumar serenidade.
Acendi velas.
Acabei de perder um título nacional e ainda assim continuo satisfeita com o meu time. Quando a gente aprende a agradecer, tudo faz mais sentido.
Decidi lutar boxe e passar alguns dias em um curso de meditação nas próximas férias.
E por fim... Decidi colocar os amigos no lugar de amigos, a família no lugar de família e os amores (só os merecidos) no tão merecido lugar de meus amores.

E foi assim que eu decidi antecipar os projetos de ano novo. Parar de sofrer. Voltar a sorrir. Eu sou uma pessoa muito querida e mereço uma boa mudança. Chega de tempestade! A luz está logo alí e eu nem preciso ir sozinha para alcançá-la!


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Sick, tired, disappointed and sad.

I'm sick of (taking such a good care of myself and...) being sick.
Tired of (sleeping a lot and...) being tired.
Disappointed of being (full of hope and...) so often disappointed.
Sad for being (somehow and... always a bit) sad.

domingo, 4 de novembro de 2012

Meu ele perfeito

Ele toca bateria. Eu... piano.
Ele tem o corpo tatuado. Eu... Ainda não.
Ele é bem alto e forte. Eu... nem tanto.
Ele é Galo. Eu? Mais ainda!
Ele cheira bem. E eu, isso aprecio.
Ele tem bom gosto. Eu o saboreio.
Ele já cansou-se de soprar velas. Eu ainda me divirto.
Ele é um pouco tímido. Eu... um pouco sem vergonha.
Ele luta. Eu corro.
Ele desenha. Eu canto.
Mas se ele canta... Eu danço!
Ele me encanta!
Ele faz as contas. Eu os poemas.
Ele joga todos os esportes. Eu chego a ter medo de bola.
Ele na janela. Eu mais perto da porta.
Ele dorme. Eu o acaricio.
Eu durmo. Ele me acorda com um beijo.
Ele dirige. Eu também! Por que não?
Ele pilota e eu fico satisfeita de vestir uma jaqueta preta, amarrar o cabelo e me agarrar na sua garupa.
Ele cozinha. Eu lavo.
Mas se eu cozinho... Ele só come!
Ele abre a porta. Eu passo. Mas só depois de o sorrir.
Se ele vem atrás... Eu tomo a frente e perfumo com alegria seu caminho.
Eu sou Libra. Ele me equilibra.
Eu falo muito. Ele é todo ouvidos.
Se ele resolve falar. Eu faço gosto!
Ele tem o peito macio e quente. Não mais que seus beijos.
Ele quer mais um animal. Eu não abro mão de ter filhos.
Ele come japonês. Eu também.
Ele fala inglês. Eu também.
Eu falo espanhol e francês. Ele, alemão, árabe, mandarim...
Ele espirra. Eu tusso.
Ele ronca. Eu soluço.
Ele tem os olhos da mamãe. Eu, o olhar do papai.
Ele lê Carlos Drummond. Eu, Clarice Lispector.
Ele ri de Boewulf. Eu, choro com E.E. Cummings.
É que ele gosta de aventura. Eu, de romance.
Ele fala grosso, mas é pura gentileza. Eu posso ser ríspida sem alterar a voz.
Ele entende tudo de tecnologia. Eu sou só uma curiosa.
Ele tem alergias. Eu também.
Ele tem muitos amigos. Nós temos.
Ele tem uma família que parece não ter fim. Eu também a terei.
Ele prefere molho branco. Eu, bolonhesa.
Ele escolhe frango. Eu, boi.
Ele quer menina. Eu menino.
Eu arrumo a cama. Ele põe a mesa.
Ele leva o Jake pra passear. Eu deixo as crianças na escola.
Ele quer tomar uma na praia. Eu quero o silêncio das montanhas.
Ele prefere o Sol. Eu a Lua.
Ele é um doce. Eu prefiro um prato salgado.
Ele é curioso. Eu, ansiosa.
Ele é sincero. Eu mais ainda.
Ele lê pra Ana. Eu levo o Miguel ao judô.
Ele dá estrelinha com a Júlia. Eu compro os óculos com o João.
Ele faz o churrasco. Eu a salada.
Ele limpa a piscina. Eu ponho a cerveja pra gelar. E nossos amigos já estão pra chegar!
Ele custou a se acostumar com a aliança. Eu, com o sobrenome.
Eu faço a lista. Ele, as compras.
Ele é Flynn Rider. Eu sou Fiona.
Ele gosta de dragões. Eu, dos vampiros.
Ele, asco de cabelo. Eu, de formigas.
Ele me sorri. Eu pulo e prendo as minhas pernas na sua cintura.
Eu sou 8. Ele é mais ou menos de 80.
Ele pede pra eu começar a oração. Eu começo!
Eu faço tudo direito. Ele, é canhoto!
Ele gosta de pegar peso. Eu, me alongo.
Nós nadamos muito... Eu de costas. Ele, crau.
Ele, chocolate com pimenta. Eu, limão e sal.
Ele, capitão do time. Eu, líder de torcida.
Eu, no céu... Ele, na terra!
Ele, injeção na veia. Eu? Doses homeopáticas, por favor.
Ele rock. I rock. We roll!