terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Consulta médica

- Eh... você tem uma alteração no labirinto sim, mas... Acredito que os desmaios não tenham sido por causa disso não. Como é que foi?

E eu contei a mesma história a um médico já pela sexta vez.

- Você tinha comido bem?
- Sim.  - Contei o que comi, novamente.
- É porque a sua glicemia em jejum é meio baixa. Então... Se ficar mais de duas horas sem comer...
- Mas eu comi! Juro!
- Ó! Não chega a ser labirintite, mas não tem jeito de curar isso. Você é assim! É uma alteração no líquido do labirinto que...
- Mas e aí?
- E aí que te falta energia e você vai ter esses piripaques.
- Mas...
- Se começar a se sentir mal, não tem nada de ter que comer coisa de sal, nem colocar sal em baixo da língua. Come um chocolate!
- Hãn?
- Eu sei que você não deve estar muito habituada a comer doces, porque quando você come muito doces você tem aquelas sensações de mal estar que teve durante o exame, não tem?
- Aham.
- Pois é! Mas TEM QUE COMER! O problema de comer doce é que ele dá energia rápido, mas essa energia também acaba rápido. Então... Começou a se sentir mal, come algo doce e depois faz um lanche direito.
- Mas eu malho antes do almoço.
- Não tem problema! Come! O povo acha que é frescura, mas isso é coisa de mulher. É verdade sim que quando a gente não está bem a gente PRECISA comer doce. Fala a verdade...
- Que?
- Quando foi que passou mal? O que tava acontecendo?
- Hum... Comecinho de outubro. - E minha cabeça processou a informação como "tensão-pré-aniversário".
- E você está apaixonada?
- Que? Hum... Eh... Tô... - Com um sentimento quase que de vergonha ao admitir.
- E você é muito ansiosa, não é?
- Sou sim. - Pensando já bem brava comigo mesma "não tinha nada que achar que tava tudo bem, que eu ia dar conta sozinha, que ele ia ser toda a alegria do mundo e ter parado de tomar o antidepressivo!"
- Pois é... E você se lembra qual foi a última vez que teve esses piripaques? Porque eu... - E enquanto ela me contava de como era a sua vida dos 20 anos até terminar a residência, eu achei todas as respostas.
- Foi na época que eu estava estudando para o vestibular. Época que meu pai começou a beber muito. Minha mãe teve que fechar a mercearia. Minha irmã saiu do emprego... Época que meu ex-namorado estava muito diferente...
- Luana, eu vou te prescrever um remédio. Mas você NÃO vai precisar tomá-lo não é mesmo?! Remédio custa, tem efeito colateral... Você vai prestar atenção no que o seu corpo quer e precisa. Vai comer e vai parar de achar que isso é errado. E se começar a "perder as forças", como você mesma disse, você vai comer algo doce para te dar energia. Combinado?
- Combinado.
- Você coloca um comprimido embaixo da língua se o mundo começar a ficar preto. - Disse ela ao me entregar a receita.
- Tá bom.


E foi assim que eu tive a certeza que o meu Anjo da Guarda está mesmo cuidando muito bem de mim. Que me colocou aos cuidados dos melhores, mais sensíveis e carinhosos médicos.

Foi assim que eu saí do consultório da otorrinolaringologista. Parte envergonhada, parte confusa, mas muito, MUITO agradecida por ver o rumo que as coisas tomam. Fui caminhando na chuva, distraída e... Por mais chateada que eu pudesse estar eu só pensava em uma coisa: "obrigada por cuidar de mim. MUITO OBRIGADA!"

domingo, 9 de dezembro de 2012

Ansiedade


1. Comoção aflitiva do espírito que receia que uma coisa suceda ou não.
2. Sofrimento de quem espera o que é certo vir.
3. Atitude emotiva concernente ao futuro e que se caracteriza por alternativas de medo e esperança; medo vago adquirido especialmente por generalização de estímulos.
4. Angústia.
5. Incerteza aflitiva.
6. Desejo ardente ou veemente..
7. Anseio.
8. Desespero.
9. Impaciência, insofrimento, sofreguidão.
10. Perturbação de espírito.

Ansiedade é quando QUERO que alguma coisa aconteça sem demora. E que aconteça mesmo! Do jeito que eu QUERO, como eu QUERO, quando QUERO e... Ai, como eu quero!