quinta-feira, 8 de setembro de 2016

28

Aos 28 eu tive que chegar perto de cavalos sem demonstrar medo. Como os gatos, eles me olharam no olho. Lá no fundo! De um jeito que nem eu mesma consigo me ver. Coisa mais estranha...
Aos 28 eu comi tacos pela primeira vez. Obrigada, Lô!
Aos 28 eu tive que encarar um formigueiro de lava-pés. Arrepio toda só de lembrar!
Aos 28 pensamentos ruins foram capturados embaixo da minha cama.
Aos 28 eu aprendi que há uma pirâmide de cristal submersa lá no Triângulo das Bermudas.
Aos 28 eu conheci os vídeos de Laércio Fonseca e muitos outros do tipo.
Aos 28 eu me inscrevi em um concurso público e a tentativa de estudar sozinha me fez perceber o quando eu gosto da vida acadêmica. Desisti do concurso, mas preciso voltar a estudar!
Aos 28, em urgência, o débito não passou, o crédito não passou e o sorriso, de vez, acabou.
Aos 28 fiquei mal! Soro e remédios na veia, repouso, dieta diferente... E o que foi diagnosticado? "Só" uma desidratação após ter comido algo que não caiu bem. Acabou me parecendo rejeição do meu organismo à carne. Depois uma infecção no estômago para arrematar e eu preferi não contrariar mais o meu bucho. Acontece também que aos 28 eu também assisti a Earthlings. E aos 28 eu conheci a Umbanda. E isso mudou tanta coisa por aqui.
Aos 28, uma oficial de justiça bateu em minha porta. E eu...? Abri sim, Senhoras e Senhores!
Aos 28, pela primeira vez, eu fui a um concerto. Vi uma apresentação da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e adorei!
Aos 28 revi o meu pai.
Aos 28 conheci o Cris. Aos 28 eu quis tentar e quis desistir. Aos 28 eu me apaixonei e, mais do que em breve, me desapaixonei como já era de se esperar. Aos 28, mais do que tentar e desistir eu quis não saber o que querer e quando querer que quisesse e não querendo, que não quisesse. 
Aos 28 eu tirei foto com o papai Noel, mas não pude entregar a minha cartinha:

Querido Papai Noel,
Eu fui uma boa menina. Tenho certeza. Gostaria de pedir que me ajudasse a ser ainda melhor.
Eu quero, Papai Noel, ser uma mulher menos boazinha. Quero ser mais confiante, mais firme, mais segura. Quero continuar construindo uma carreira e ter sucesso profissional. Quero conseguir administrar bem meu tempo e meu dinheiro.
Comecei pelo mais fácil, não foi?
É! Por favor Papai Noel, eu preciso emagrecer. Já estou farta de ouvir tanta grosseria. Quero ser magra, ter a pele bonita, o cabelo bonito, e o meu sorriso de sempre.

E foi assim que aos 28 eu participei de longos processos seletivos. Fui aprovada em três e escolhi o meu novo emprego. Então... Aos 28 eu me demiti. Eu não podia ter feito coisa melhor! Eu me transformei! Troquei corujas por águias. E me vi tão mais atenta às verdades que símbolos podem nos revelar...
Aos 28 eu voltei a Itabira e comi banana verde frita. Delícia! Faz mais, José? E assisti tudo quanto era Star Wars! Do começo ao fim! Com direito a comentários de quem entende bem do assunto. Agora entendo melhor “a força”.
Aos 28 eu voltei a pintar as unhas da cor que fosse! Perdi a paciência até com minhas simpatias.
Aos 28 eu fiz, desta vez sozinha e só para mim, uma lista muitíssimo detalhada com os planos para o Ano Novo. Planejamento é tudo!
Aos 28 eu me livrei de todas as dívidas e organizar a vida financeira foi libertador! Era este o foco do problema!
Aos 28 eu instalei os aplicativos de relacionamento no celular novamente. Conheci aquele Urso chato, o fofíssimo Bruno, o falso romântico Luiz, o estranho Victor, o Grandão delícia e já sem qualquer empolgação o Bê e o Luiz Felipe. Sosseguei novamente! Só que dessa vez sem aquele clima de derrota, sabe? É que aos 28 decidi que daria novas chances a mim mesma sem tanta cobrança. Chances de relacionamentos saudáveis. E não sendo saudáveis... Simplesmente não seriam!
Aos 28 conheci a pizzaria Marília. Yummy! Troquei motel por hotel e me senti turista em minha própria cidade durante o Carnaval. Foi ótimo!
Aos 28 eu conheci um pouquinho de Contagem, Venda Nova, Floresta... Aprendi o nome de algumas ruas e alguns caminhos novos. Mas... continuo completamente dependente do endereço e de alguém me falando para onde ir. Tem gente que parece ter nascido ao acaso. Para ser sem rumo, sem eixo. Ser só por aí. Indo e vindo. Correndo e empacando. Já ouvi alguém dizer que liberdade demais incomoda e neste contexto consigo entender perfeitamente.
Aos 28 tive que tomar cápsulas de sol - suplemento de vitamina D. Pode? Vai lá que eu não gosto mesmo de sol, mas... Fico imaginando se isto aconteceria com qualquer outra pessoa que vive em um país tropical que não eu.
Aos 28 tive câimbras estranhas... Disse meu irmão que é herança da minha mãe. Acho mesmo que tenho que visitar um angiologista o quanto antes. Voltei até a usar as meias de compressão.
Aos 28 “ganhei” uma conta salário no Santander. Conta Van Gogh ;) Adoro Van Gogh!
Aos 28 fui ao velório de uma criança querida. Um ex-aluno de apenas 4 aninhos que morreu afogado na Bahia. Quanta tristeza ao ver a família sofrendo tanto. :'( O que restava em mim de vontade de ter um filho acabou com o abraço. Aquele abraço forte que aquela mãe me deu. E com o que ela me disse ao pé do ouvido.
Aos 28 tive que reaprender a usa o Microsoft Outlook, coisa que fazia quando ainda brincava de escritório e digitar era um super hobby.
Aos 28 eu voltei a fazer planejamento e projetos como fazia na faculdade e no CISV. Adoro!
Aos 28 entregar o relatório até o dia cinco do mês foi desafio e aprendizado puro! E... quem diria! Não é que gostei de ficar analisando os dados e encontrar o problema pra resolver? Eita mundo redondo!
Aos 28 eu tive Dengue e, desde então, minha saúde não foi mais a mesma. Aliás, eu tive de tudo um pouco. Amidalites, alergia aos antibióticos e manchas vermelhas pelo corpo que me forçavam fazer maquiagem até para ir ao supermercado da esquina.
Aos 28 eu experimentei Bezetacil.Várias! Ui!
Aos 28 eu comprei todos os produtos da Granado Pink para tratar as unhas e acabei descobrindo sozinha que a pomada que uso após me depilar faz um bem danado às cutículas.
Aos 28 eu voltei a um concerto e gostei mais ainda.
Aos 28 eu  sarei e então voltei ao doutor Evandro com "sangue no olho!" E se não cumpro a meta que ele me deu ainda este ano, não sou eu mesma. Auto-estima, vaidade, auto controle, confiança, fé, saúde, beleza.., virou tudo a mesma coisa por um tempo e eu acabei  não voltando para a academia. Porque as prioridades mudaram. O foco mudou! E então... Aos 28 eu emagreci. Eu emagreci muito! Emagreci um pouco até do pescoço pra cima.
Aos 28 eu rezei mais. Vi, senti e escutei coisas diferentes. Fiz coisas diferentes, de formas diferentes, com luzes e brilhos diferentes.
Aos 28 eu voltei a dar aulas de inglês e senti muito prazer! Mas a garganta sempre reclama quando abuso.
Aos 28 eu recebi vários elogios profissionais dos meus superiores e dos meus subordinados. Mas quem sou eu pra agradar a todos, não é mesmo?! A verdade é que uma Luana ajudando muita gente parece que incomoda muito mais.
Aos 28, por fim, eu quase parei de comer carnes. Como pode? Isto nem eu estou entendendo bem ainda. Mas fato é!
Aos 28 eu bebi muita água! Muita! Precisei de assistentes para encherem garrafas de água durante o dia. Precisei também de reservar um tempo no domingo para lavar, encher e colocar todas as garrafas na geladeira. Muito trabalho, muita água, foco, alegria e, até agora, 20 quilos mais leve!
Aos 28 eu estreitei laços com Tia Regina, comigo mesma, com Deus, com as contas bancárias e até com a balança. Acreditem! Balança e eu convivemos bem ultimamente. Sem trauma, sem rancor!
Aos 28 eu voltei a meditar (quase) todos os dias. E mesmo quando não dá, eu tiro um tempinho meu para estudar, conversar com o Anjo e manter a fé em dia. Aos 28 me tornei ainda mais Espiritualista. E não há nada de mágico, tóxico, sobrenatural nem brega nisto.
Aos 28 eu acho que entendi a missão. Encontrei a minha turma! E com muita gratidão eu fortaleci minha fé.
Aos 28 precisei dar aulas sábado de manhã por algum tempo e foi olhando para o passado que eu pude comprovar o quanto o presente tem sido generoso. Me senti tão contente e segura onde estou. Pudera ser constante isto, mas não foi. Não é. Consideremos o contrário também. Mais uma vez digo: "Prazer! Inconstância."
Aos 28 eu li e ouvi o Bhagava Guitta em duas noites. Li Adeus Solidão de Chico Xavier em um sábado à tarde e Redenção em uma semana por recomendação do dirigente da Fraternidade.
Aos 28 eu emagreci. Já disse, né?! :) Pois foi assim que eu desisti de ir à academia às 22:00. Acho que também já disse. Mas é que eu queria pedir que você não me venha encher o saco dizendo que tenho que ir de manhã. De manhã tenho que dormir! Inferno! Fiquei mau humorada só de tocar no assunto aí ó! Aos 28 dormir foi um pequeno problema. Não dormir um problema quase que insuportável.
Aos 28 trabalhar voltou a ser tarefa de prazer e orgulho.
Aos 28 me comprei AQUELE perfume de presente.
Aos 28, pela primeira vez, eu fiz macarrão ninho recheado ao forno e providenciei um almoço em família que foi lindo! De julho em diante, então, ficou combinado que a cada mês o almoço de família seria na casa de um de nós. Já é setembro! Ingenuidade a minha insistir em acreditar na instituição familiar tal como um dia foi. Ou como eu gostaria que fosse :/
Aos 28 eu tive um sonho que poderia salvar uma vida, mas eu não sabia o que deveria ser feito.
Aos 28 eu fiquei ainda mais sistemática e organizada.
Aos 28 Ronda recebeu a Nala, que chamaram Pipoca, e mais uma vez a minha menina me surpreendeu com tanto carinho e generosidade. E eu confesso que tive que aprender com ela a não me enciumar. E por fim experienciei um amor e carinho que se multiplicaram e não se dividiram. Estranho isto! Aprendi com cães. Duas fêmeas. Bem... O importante é que aprendi e que estamos as três esparramadas aqui na minha cama agora!
Aos 28 eu segui o conselho de deixar a Bíblia ao lado da cama e todos os dias ler um pouquinho. Como quem estuda, interpreta e abre os horizontes! Meus conceitos de orAÇÃO e Evangelho mudaram completamente.
Aos 28, no aniversário da amiga Karine eu cortei o cabelo e fiz franjinha. Estava me sentindo linda! E magra!
Aos 28 eu conheci Paul Hein e ele me confirmou que eu sou uma bruxa. E depois uma aluna também! Quando veio me contar que estava mesmo grávida como eu, sem saber de nada, havia pressentido. Por algum motivo eu cumprimentava o(a) bebê sempre que a cumprimentava também. Confesso que nem me surpreendi tanto com os fatos. Eu estou cada vez mais esquisita.
Aos 28 eu parei de tomar Belara e continuei, bela. Claro! Mas não vejo a hora de voltar! Conheci a ginecologista Juliana e comecei todo o tratamento de novo. Tenhamos calma!
Aos 28 Dê se despediu de vez e deu sua missão por completa e cumprida. Justo!
Aos 28 os estudos de domingo na Fraternidade me fizeram muito bem! Mesmo nos dias que saí chorando ou com as ideias ainda mais emaranhadas. Ver o mundo com sentidos que não só a visão, faz muita diferença!
Aos 28 fui gentilmente cantada pelo atendente na Leitura. Ele me vendeu Pascal dizendo que era um sapo. Eu tentei evitar dizendo que de sapo já estava cansada. Então ele me disse que eu tinha encontrado o príncipe. Só que não. Não mesmo! Só que nunca eu acho. Acabei comprando o trem mesmo. E nem era um sapo! Era um porta fita adesiva de camaleão! Ele me ajudou a levar as compras até o carro e... tudo resolvido. Um sapo a menos na minha lagoa.
Aos 28 eu assisti Men of Honor no Netflix, mas ainda não troco YouTube nem livro por Netflix antes de dormir.
Aos 28 eu fui abraçada e elogiada pelo chefe em uma reunião com toda a equipe. Essa sim é a Luana que eu conheço!
Aos 28 conduzi reunião de pais, de professores, de lideres, de família, de amigas...
Aos 28 me rendi ao xarope de mel e própolis. É ruim, mas me fez bem. É o que importa!
Aos 28 decidi que vou estudar psicologia.
Aos 28 o pneu de Augusto furou.
Aos 28 troquei refrigerante por Gatorade e nem tinha notado.
Aos 28 fiquei perdida logo ali porque a moça do GPS não queria falar comigo! Ordinária!
Aos 28 eu voltei a fazer exercícios de aquecimento e desaquecimento vocal no carro. Otimizando o tempo, gente!
Aos 28 amigos do passado, que nem eram tão amigos assim, fizeram uma diferença no meu ano... Te falar! Havia tanta coisa no meu passado assim que não podia passar? Não sabia... Que bom que eu passarinho e eles (não)passaram(ão).
Aos 28 eu não resisti a um hambúrguer escondido no carro de madrugada. Não! Maldade com a Luaninha. Também não resisti a um sorvete de casquinha. Mas nem se eu insistisse em resistir. Tem vontade que carrega a gente no colo até onde o prazer esta. E eu me derreto toda porque eu mereço. Eu também mereço alguns momentos de me sentir escolhida, acolhida e sem culpa.
Aos 28 eu bebi vinho branco e vinho tinto, mas continuo não gostando de uvas que não sejam Itália. É tudo uma questão darwiniana de que vivem mais e melhor os que se adaptam bem às situações. Continuo gostando de carne, mesmo não comendo. Continuo gostando de cerveja, mesmo não bebendo. Evolução da espécie que se chama isto.
Aos 28 conheci o Núcleo manu e comecei a praticar yoga. Logo dei um jeito de voltar praticar karatê, porque depois que o conheci, não deu certo tentar outra atividade física. Natação quem sabe?!
Aos 28 fiz mais uma progressiva, passei a madrugada investigando os candidatos a prefeitura da minha cidade e fui votar sem a menos empolgação. Coisa triste e nostálgica é dia de eleição.
Aos 28 comecei a Reforma Íntima e a reforma na casa. A voz acabou, o nariz ressecou, mas... Já é setembro! Eu estou de braços abertos para começar 29. Vai ter festa e vai ter bolo com vela para eu acreditar sincero e desejar profundo. Vai ter bebida, comida e música boa! Terei bons amigos e a família celebrando e agradecendo o ano maravilhoso que vivi. Agora é me preparar para um ano novo melhor. 8 é o meu número favorito, mas tenho certeza que 29 será fantástico! E depois de 8, gosto de 3. Está tudo sobre controle! ;)

Do ano que passou ainda ficou a vontade de ganhar uma lancheira pra eu levar pra escola! :) Acho que não me levaram a sério quando pedi. É sério! Está é mesmo a minha lista de desejos! Só que agora quero uma lancheira charmosa que nem a do Felipe e da Marília! Com os bons a gente cola pra brilhar!
Garrafas, garrafinhas e garrafões de água!
Bolsas
bem grandes, mochilas, pastas, lápis, caneta, canetinha, post-it... Qualquer apetrecho de papelaria vai me deixar muito feliz! Muito!
Beto, o meu umidificador querido, estragou. Preciso de um Betinho, por favor. Como se vive sem umidificador e vaporizador em Belo Horizonte?
Gosto de usar óleo corporal após o banho, mas o dermatologista me disse que minha pele está áspera e sensível. A princípio achei meio contraditório, mas acabei concordando com "o nosso corpo fala mesmo, né?!" Áspera e sensível. Bem a minha cara mesmo. Recomendou Fisiogel Hipoalergênico, mas é claro que podem ser outros! Creme de mão, de pé, de cabelo, de rosto... Estou cada vez mais longe de frescuras. Lojas Rede e Farmácias também me deixam super feliz! Qualquer xampu, condicionador, creme de tratamento, sabonete, manteiga de cacau... Qualquer coisinha me deixa feliz! Principalmente no meu aniversário! Estou em uma fase bem comportadinha! Uso protetor solar facial e labial, base, pó, batom, protetor labial, máscara preta e transparente... tenho usado pó e base Vult  #2. Toda farmácia tem. Rsrs..Certamente algumas amigas entendem disto melhor do que eu. Não vou nem falar muito que é pra não passar vergonha. Ainda na farmácia! Brinquinhos de bebês ou qualquer outro que não vá me coçar serão bem-vindos. Brinquinhos, brincos e brincões. Aneizinhos, aneis e "aneizões". Gosto demais de brincos e aneis e tenho preferência pelos prateados. Também gosto de pulseiras e adoro tornozeleiras!
Quem adota viralatas nunca pode deixar de pedir Havaianas! Nala mastigou alguns pares. Então... por favor! Uma cama e colchão novos também seria ótimo! Obrigada!
Eu tô querendo um celular novo bonzão. Vai que tem alguém querendo me dar presentão!? Celular, tablet...
Sapatos e calças sociais de cor preta para eu trabalhar lindamente! Calço 36, às vezes 35. Nem sei mais quanto visto! 44? 42? Me segura que eu eu tô quase no 40!
É bom lembrar que não gosto de flores e que chocolates não contribuirão com a dieta nossa de cada dia. Prefiro palmitoInsisto em dizer que um pote de palmito é um ótimo presente pra mim. E falo sério! Precisa nem embrulhar!
Vou repetir o narguile de novo porque ainda não ganhei e quero!

Tenho vários livros que ainda não li. Alguns ainda lacrados, mas sei que tem gente que faz questão de me dar livros porque sabe que eu adoro! Gosto mesmo! Para ajudar:

Eu Tinha Um Cão Negro Seu Nome Era Depressão - Matthew Johnstone;
A beleza está nos olhos de quem vê – Camila Cury;
Quem é você, Alaska – John Green;
Cidade de papel – John Green;
Para sempre – Alysson Noel;
O cérebro de Buda – Rick Hanson;
O livro dos Médiuns | A Gênese  - Allan Kardec;
Personalidade Intrusa - Dr. Eliezer Carvalho Mendes
Brasil: coracão do mundo pátria do evangelho - Chico Xavier
Elon Musk - Ashlee Vance
Escutando Sentimentos - Wanderley Oliveira
Um mundo Espiritual chamado Terra- Carlos Antonio Baccelli
Liberdade para Aprender | Um jeito de ser | Sobre o poder Pessoal - Carl Rogers
Aprender a Sentir - Sentir para Aprender - Harold C. Lyon Jr.

Tenho certeza que vou gostar de ler qualquer coisa sobre educação, ensino de idiomas, psicologia, filosofia, artes marciais, religião... Sugestões são bem aceitas, claro!

Ah, gente! Paçoquita, doce, um pacote de sal grosso, um picolé, um pirulito, um chiclete, uma calcinha, prendedor de cabelo, esmalte... Beijo estalado, abraço apertado, carta, cartinha, cartão, oração com muita fé, um sorriso que não seja falso e qualquer outra coisa que vier com boa vontade. Aliás... Boa vontade é um ótimo lema para meu ano novo. Que assim seja!


Nenhum comentário: